Hipogonadismo - Diagnóstico e algoritmo de tratamento

Atualmente, mais de
55% dos homens estão
acima do peso
1

Sinais, sintomas e Exames laboratoriais

O sintoma mais associado ao hipogonadismo é a libido reduzida. Outras manifestações, no entanto, também podem ser associadas a níveis baixos de testosterona, e um diagnóstico de hipogonadismo é feito com base em baixos níveis de testosterona sérica que ocorrem em associação com um ou mais dos sintomas e sinais listados na tabela abaixo 2,3

Sinais e sintomas de hipogonadismo2

A. Sinais e sintomas que sugerem o hipogonadismo em homens

  • Desenvolvimento sexual incompleto, eunucoidismo, aspermia
  • Desejo (libido) e atividade sexual reduzidos
  • Diminuição das ereções espontâneas
  • Massa muscular e força reduzidas
  • Calores e suores noturnos
  • Perda de pelos do corpo (axilar e púbico), barbear reduzido
  • Desconforto mamário, ginecomastia
  • Testículos muito pequenos ou dimuídos
  • infertilidade, contagens baixas ou nulas de espermatozoides
  • Perda de altura, fratura por trauma leve, baixa densidade óssea (osteoporose)

B. Outros sinais e sintomas menos específicos associados ao hipogonadismo

  • Diminuição de energia, motivação, iniciativa, autoconfiança
  • Agressividade
  • Sensação de tristeza, diminuição de humor, distimia
  • Desempenho físico ou trabalho diminuído
  • Falta de concentração e memória
  • Aumento da gordura e do índice de massa corporal
  • Resistência à insulina
  • Distúrbios do sono, aumento de sonolência
  • Anemia leve

Os sintomas de hipogonadismo podem variar de indivíduo para indivíduo. No hipogonadismo tardio, muitos sintomas se assemelham aos de envelhecimento e, como conseqüência, essa condição é freqüentemente não diagnosticada. Vários procedimentos diagnósticos estão disponíveis para confirmar o hipogonadismo em um paciente que apresenta sintomas ou sinais de deficiência de testosterona. Estes incluem:

→ Histórico médico (pessoal e familiar);

→ Um exame físico geral, incluindo pressão arterial, avaliação das características sexuais secundárias, exame dos testículos, circunferência abdominal e distribuição de gordura;

→ O exame da próstata é importante para excluir o diagnóstico de câncer da próstata se a terapia com testosterona for indicada;

→ Exames laboratoriais, incluindo a determinação dos valores de testosterona.

Recomenda-se repetir a dosagem de testosterona total matinal (quando os níveis séricos de testosterona são maiores devido ao ritmo circadiano da testosterona). As sociedades internacionais também recomendam a utilização de um teste confiável, como parâmetro mais amplamente aceito para determinar a presença de hipogonadismo em combinação com sintomas e sinais consistentes. Em alguns homens, a testosterona livre ou biodisponível pode ser apropriada.2,3

Testes suplementares, por exemplo um teste de densidade óssea para suspeita de osteoporose ou para excluir outras doenças que podem explicar a sintomatologia, podem ser necessários. A experiência do médico e, em alguns casos, a observação de benefícios clínicos claros após o inicio da terapia com testosterona podem fornecer a confirmação do diagnóstico de hipogonadismo.

Não há limite inferior da normalidade amplamente aceito

A determinação dos níveis de testosterona no diagnóstico de hipogonadismo

Valores de normalidade faixas de testosterona variam entre laboratórios dependendo da analise utilizada, e os valores locais devem ser consultados quando o diagnóstico de hipogonadismo é considerado. Não há limite inferior do normal amplamente aceito. No entanto, uma concentração pela manhã de testosterona sérica de 12-35 nmol/L (346-1010 ng/dL) pode ser considerada normal. O tratamento com testosterona pode ser recomendado se esse valor for abaixo de 12 nmol/L (346 ng/dL). Há um consenso geral de que testosterona acima de 12 nmol/L (346 ng/dL) ou níveis de testosterona livre acima de 250 pmol/L (72 pg/mL) não necessitam de reposição. A Associação Européia de Urologia (EAU), a Sociedade Internacional para o Estudo do Envelhecimento Masculino (ISSAM), a Sociedade Internacional de Andrologia (ISA), a Academia Européia de Andrologia (EAA) e a Sociedade Americana de Andrologia (ASA) sugerem que os níveis de testosterona sérica total abaixo de 8 nmol/L (231 ng/dL) ou testosterona livre abaixo de 180 pmol/L (52 pg/mL) necessitam de terapia de reposição de testosterona. Além disso, as concentrações dos hormônios hipofisários podem ser medidas. Elas fornecem informações sobre se a deficiência de testosterona é devida a distúrbios da função testicular ou do sistema hipotálamo-hipofisário.

Uma vez que os sintomas de hipogonadismo se manifestam com níveis de testosterona entre 8 e 12 nmol/L (231–346 ng/dL), este diagnóstico pode ser considerado em homens com quadro clínico sugestivo de hipogonadismo e níveis de testosterona limitrofes quando outras causas desses sintomas forem excluídas.2,3

Referências

  1. http://www.abeso.org.br/noticia/quase-60-dos-brasileiros-estao-acima-do-peso-revela-pesquisa-do-ibge; acessado em 10/01/2017
  2. Bhasin S, Cunningham GR, Hayes FJ, et al. Testosterone therapy in adult men with androgen deficiency syndromes: an endocrine society clinical practice guideline. J Clin Endocrinol Metab 2006; 91(6): 1995-2010
  3. Wang, C., E. Nieschlag, R. Swerdloff, et al. Investigation, treatment and monitoring of late-onset hypogonadism in males: ISA,ISSAM, EAU, EAA and ASA recommendations. Eur J Endocrinol 2008, 159(5): 507-514.
  4. Bhasin S, Cunningham GR, Hayes FJ, Matsumoto AM, Snyder PJ, Swerdloff RS, Montori, VM 2006 Testosterone Therapy in Adult Men with Androgen Deficiency Syndromes: An Endocrine Society Clinical Practice Guideline (J Clin Endocrinol Metab 91:1995– 2101l doi: 10.1210/jc.2005–2847)

Saiba mais em

Diagnóstico

Os sintomas de hipogonadismo podem variar de acordo com a pessoa.

Terapia

A terapia de reposição de testosterona é caracterizada por uma larga margem de segurança e boa tolerabilidade.

Seus Pacientes

Informações úteis para médicos e seus pacientes.